cabresto

somos bois pastando no pasto
no cercado invisível das redes.
e a senha da internet
são as nossas quatro paredes.
nossos donos nos amam
e contam nossas cabeças.

eu não lembro como era ontem
e você, será que lembra?
eu não lembro o gosto que tinha;
e é tão gostoso o pasto!

ainda bem que a memória é curta
e o pasto saboroso.
imagina que horror despertar
deste sonho monstruoso?

(Clara Cruz)