entreturno

Há um relógio mordendo o meu sono,
estragando minha viagem
aos planetas siderais.

Ó meu Tempo maltratado,
que mal te fazem os mortais!

(A flor que eu fui tem andado ocupada,
passeando por outros
carnavais…)

 

(Clara Cruz)

 

← Ver outros poemas