A solidão é o preço da liberdade

Quando me vi livre,
senti o pânico de estar sozinha.
Agarrei com força a mão do superego.
Mas ele me deixou na mão:
foi afrouxando esse aperto…
e eu me vi nua na escuridão.

 

(Clara Cruz)

 

← Ver outros poemas