as duas meninas

A tristeza, menina esguia, 
passeia por dentro dos corredores da gente 
mais elástica que a angústia: 
essa mais espessa, mais durinha, tropeça pelas escadas.

A tristeza é mais fácil de manejar que a angústia.
A tristeza é mais comportadinha, ela eu consigo pôr no colo, alimentar, ninar.
A angústia é mais arredia, joga para o teto o prato
de atenção que lhe dou.

A tristeza é mais fácil de tomar pela mão e levar para onde estou indo.
A angústia puxa-me para trás, quer voltar para casa. Não quer seguir adiante.
Faz pirraça e imobiliza-me. 

Tenho mais dificuldade de cuidar da angústia.
Mas quero acolher sua dor. 
Não quero mandá-la embora, 
porque sei que ela precisa de mim, 
tanto quanto a tristeza.
Angústia, meu bem: vem. 
Quero acolher tua dor, pertinho do meu coração. 
Deita no meu colo, dorme comigo. Tudo vai ficar bem.

Tenho duas filhas, e não apenas uma.
É das duas que quero cuidar.

(Clara Cruz)

 

← Ver outros poemas